MUNDANO

"some men never

die

and some men never

live

but we're all alive tonight"

Charles Bukowski, You Get So Alone At Times That It Just Makes Sense

 

Mundano foi um trabalho desenvolvido ao longo da 11ª Edição das Narrativas Fotográficas do Intendente, orientadas pela fotógrafa Pauliana Valente Pimentel, na Cada Independente.

Diz-nos o Dicionário da Porto Editora que Mundano é um adjectivo relativo ao mundo do ponto de vista material, do profano, do temporal. O que é contrário à espiritualidade, dado aos prazeres do mundo. E é isso que este trabalho pretende retratar no Intendente, através da noite. Não procura retratar o que mais directamente nos remete para o Intendente, de (pre)conceitos e memórias antigas que não estão assim tão distantes no tempo. Mas, sim, o que passa por nós, os locais e as pessoas por onde e por quem passamos, mas não olhamos, ou olhamos e não vemos. Mas que estão lá todos os dias, sem certo nem errado, sendo apenas o que é. O mundano do dia-a-dia, o esquecido, o rejeitado, o terreno. Porque na noite ninguém vê o que está sempre lá.